segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

CONTEUDO CPA GEOGRAFIA MEDIO




CONTEUDO CPA SOCIOLOGIA MEDIO



CONTEUDO CPA HISTORIA MEDIO





CONTEUDO CPA ESPANHOL MEDIO



CONTEUDO CPA ESPANHOL MEDIO


CONTEUDO CPA INGLES MEDIO




CONTEUDO CPA MEDIO PORTUGUES


terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

09 a 11 FEVEREIRO de 2011

ensino médio

22/02 – QUIMICA (08h) (terça-feira)
BIOLOGIA (10h)
23/02 – GEOGRAFIA (08h) (quarta-feira)
FÍSICA (10h)
24/02 - MATEMÁTICA (08h) (quinta-feira)
Inglês e Espanhol (10h)
25/02 - SOCIOLOGIA (08h) (sexta-feira)
PORTUGUES (10h)
28/02 - FILOSOFIA (08h) (segunda-feira)
HISTORIA (10h)

Onde fazer seus exames - 2010: Capital

Onde fazer seus exames - 2010:

Capital

Centro Estadual de Educação Magalhães Netto - CEA
Novo Endereço: Pça. Almirante Coelho Neto, s/n - Barris
CEP: 40070-140 | Salvador - Bahia

Colégio Estadual Governador Roberto Santos(antigo CEMAV)
Novo Endereço: Rua Silveira Martins, s/n - Narandiba
CEP: 41150-090 | Salvador - Bahia


Colégio Estadual Zilma Gomes Parente de Barros
Av. Diva Pimentel, s/n – San Martin
Tel: (0xx71) 3389-2122/3381-5847 Salvador – Ba


Colégio Estadual Hamilton de Jesus Lopes
Av. Jequitáia, s/n – Calçada
Tel. (0xx71) 3312-2245/3313-5212 Salvador - Ba


Interior




Colégio Estadual Agostinho Fróes da Mota
R. Cel. Álvares Simões, s/n – Centro CEP: 44100-000
Tel: (0xx75) 3223-2465/3225-5190 Feira de Santana – Ba

Centro Territorial de Educação Profissional do Agreste de Alagoinhas/Litoral Norte
R. Maria Feijó, s/n CEP: 45.100-000
Tel: (0xx75) 3421-2446 Alagoinhas - Ba

Colégio Estadual Antônio Olavo Galvão
Loteamento Jardim Bahia, s/n CEP: 44.570-000
Tel: (0xx75) 3631-7084 Santo Antônio de Jesus - Ba

Colégio da Polícia Militar de Educação Rômulo Galvão - CPMRG
R. Bonfim, s/n – Pontal CEP: 45.650-000
Tel: (0xx73) 3231-3374 / 3634-4133 Ilhéus - Ba

Colégio Estadual de Itabuna
R. Manoel Chaves, s/n – São Caetano CEP: 45600-000
Tel: (0xx73) 3617-4662/3613-4859 Itabuna - Ba

Colégio Estadual Armando Ribeiro Carneiro
R. Maria Quitéria n.º 281 CEP: 45970-000
Tel: (0xx73) 281-3340 / 281-2834 Eunápolis - Ba

Centro Territorial de Educação Profissional de ItaparicaAv. Estudante, s/n– Amalrí Menezes CEP: 48600-000
Tel: (0xx75) 3281-5616/3281-9010 Paulo Afonso - Ba

Instituto de Educação Régis Pacheco
R. 15 de Novembro, s/n Campos do América CEP: 45200-000
Tel: (0xx73) 3525-6675/3526-5011 Jequié - Ba


Colégio Estadual Hildete Lomanto
R. Oscar Pinheiro, s/n – Centro CEP: 48.900-000
Tel: (0xx74) 3611-6613/5462 Juazeiro – Ba


Centro Educacional Deocleciano Barbosa de Castro
Pç. Presidente Kennedy, 200 CEP: 44.700-000
Tel.: (xx74) 3621-5386/3621-6221 Jacobina - Ba


Colégio Estadual Kleber Pacheco de Oliveira
R. H, s/n URBIS II – Batéias CEP: 45.100-000
Tel: (0xx77) 3426-9772/3426-2531 Vitória da Conquista - Ba


Instituto de Educação Anísio Teixeira
Av. Anísio Teixeira, s/n – Centro CEP: 46400-000
Tel: (0xx77) 3454-1041/ 3454-2138 Caetité - Ba

Colégio Estadual Prof. Folk RochaR. Prof. Seabra de Lemos, s/n – Centro CEP: 47.800-000
Tel: (0xx77) 3611-6497 Barreiras - Ba

Colégio Estadual Rômulo Galvão



Av. Roberto Santos, s/n – Centro CEP: 48970-000
Tel.: (0xx74) 3541-2098 Senhor do Bonfim - Ba


Centro Educacional Theodoro Sampaio
Av. Ferreira Bandeira, s/n – Centro CEP: 44200--000
Tel.: (0xx75) 3241-2942 Santo Amaro - Ba

Exame Supletivo (CPA)

Os exames supletivos são realizados no Estado da Bahia pelas Comissões Permanentes de Avaliação (CPA), autorizadas pelo Conselho Estadual de Educação (CEE). O funcionamento das Comissões também é regulamentado pela Resolução CEE nº 138/2001 e Portaria SEC n° 12.235/2002.

A idade mínima para realização dos exames segue as anunciadas na LDB: 15 anos para o ensino fundamental e 18 anos para o ensino médio. O candidato poderá se inscrever nos Centros de Educação de Jovens e Adultos e prestar os exames mensais: no máximo de 3 (três) componentes curriculares para o ensino fundamental e 4 (quatro) componentes curriculares para o ensino médio

Requisito para ter acesso aos Exames Supletivos:
. Ter 15 anos completos - ensino fundamental
. Ter 18 anos completos - ensino médio

* Não é permitida a realização de exames supletivos do ensino médio a menores de 18 anos, mesmo que emancipados.

Perfil dos candidatos a Exames Supletivos:
. Jovens e adultos excluídos do processo educacional regular que se habilitem à terminalidade do ensino fundamental e médio.
. Candidatos oriundos de cursos supletivos extintos.
. Candidatos de escolas regulares que não lograram aprovação em disciplinas do Núcleo Básico Nacional.
. Candidatos que não concluíram cursos de EJA.
. Candidatos que estão realizando cursos de EJA e precisam realizar disciplinas que não estejam cursando.

Procedimentos no ato da inscrição:
. Recepção – acolhimento, escuta e encaminhamento para uma entrevista ou sondagem.
. Inscrição – preenchimento de uma ficha de inscrição
. Marcação das provas – cartão do candidato
. Realização dos exames

* O candidato a exames supletivos só poderá ser inscrito, mensalmente, em 03 (três) disciplinas do ensino fundamental e 04 (quatro) para o Ensino Médio.
* O candidato que não obtiver a média 5,0 (cinco) em alguma(s) disciplina(s) somente fará novo exame, 60 (sessenta) dias após a última prova. As provas em todas as disciplinas são constituídas de questões objetivas e subjetivas.
* A ocorrência de reprovações sucessivas implicará ação orientadora da CPA para encaminhamento do candidato a cursos de EJA, oferecidos na rede estadual de ensino.

Documentos necessários para inscrição:
. Duas fotos 3x4, recentes e iguais
. Carteira de Identidade atualizada ou Carteira de Trabalho (original e cópia)
. Historico escolar (original e cópia )

Conteúdo programático das disciplinas:
Ensino fundamental
Língua Portuguesa (com redação), Matemática, História, Geografia, Ciências e Língua Estrangeira Moderna - Inglês | Francês (opcional para o candidato).
Obs.: Língua Estrangeira Moderna é de oferta obrigatória da escola e facultativa para o candidato.

Ensino médio
Língua Portuguesa (com redação) e Literatura Brasileira, Língua Estrangeira Moderna - Inglês | Espanhol | Francês, Matemática, História, Geografia, Biologia, Física, Química, Sociologia e Filosofia.

cronograma anual

Meses Inscrição e Marcação

Fevereiro 9 a 11
Março 14 a 16
Abril 11 a 13
Maio 9 a 11
Junho 6 a 8

Julho 11 a 13
Agosto 8 a 10
Setembro 12 a 14
Outubro 10, 11 e 13
Novembro 9 a 11


Período Especial
Candidatos que devem até 03(três) disciplinas no ensino fundamental e 04(quatro) no ensino médio

Mês Inscrição
Dezembro 6 e 7

PORTARIA 2011

O SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, e considerando o estabelecido na Resolução CEE Nº 138/2001 e Portaria SEC Nº 12235/2002,

RESOLVE

Art. 1º - Instituir, para o ano de 2011, o calendário para realização dos exames de educação de jovens e adultos na Rede Pública Estadual, por meio das Comissões Permanentes de Avaliação – CPA, obedecendo ao estabelecido no calendário escolar.
Art. 2º - O candidato deverá apresentar os seguintes documentos, no ato da inscrição:
2 fotos 3 x 4 (iguais e recentes)
Carteira de Identidade ou Carteira de Trabalho - original e cópia (atualizada e em perfeito estado de conservação), nos termos do artigo 365, inciso III do código do Processo Civil.
Parágrafo único: O candidato deverá ler e assinar o Termo de Conhecimento e Aceitação, onde o mesmo toma conhecimento da estrutura e funcionamento da CPA.
Art. 3º - Fica estabelecida a oferta mensal dos componentes curriculares que compõem a matriz curricular do ensino fundamental e médio:
I – Componentes Curriculares do ensino fundamental é composta das seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Ciências e Língua Estrangeira. A Língua Estrangeira neste nível de ensino é de oferta obrigatória para a unidade escolar e de prestação facultativa pelo aluno.
II – Componentes Curriculares do ensino médio é composta das seguintes disciplinas: Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Língua Estrangeira, Matemática, História, Geografia, Sociologia, Filosofia, Química, Física, Biologia.
Art. 4º - O candidato só poderá prestar exames, mensalmente, no máximo de três (03) componentes curriculares do ensino fundamental, e quatro (04) do ensino médio.
Art. 5º - Períodos de inscrição, marcação e realização de provas para o ano de 2011:

1º - Os alunos que se submeterem a exames de educação de jovens e adultos e não lograrem aprovação em componente(s) curricular(es), somente poderão realizar nova avaliação neste(s) componente(s) curricular(es), após período mínimo de 60(sessenta) dias.
§ 2º - O candidato que não comparecer na data estabelecida para a realização da(s) prova(s) e não tendo notificado à coordenação através de documento legal, somente poderá realizar novo exame após 60 dias de realização da(s) referida(s) prova(s).
Art. 6º - Compete a Direção da Unidade Escolar, fazer cumprir a carga horária e as atribuições dos profissionais que atuam nas CPA, contidas na Portaria SEC Nº 12.235/2002.
Art. 7º - Os exames de educação de jovens e adultos do ensino fundamental e ensino médio de que trata esta Portaria, serão realizados, exclusivamente, pelas Comissões Permanentes de Avaliação – CPA das Unidades Escolares da Rede Estadual, autorizadas pelo Conselho Estadual de Educação – CEE, relacionadas no anexo desta Portaria.
Art. 8º - As situações excepcionais não contempladas por esta Portaria serão submetidas ao Órgão Público competente do Sistema de Ensino do Estado da Bahia.
Art. 9º - Esta Portaria entrará em vigor na data da sua publicação, sendo revogada às disposições em contrário.

Inscrição e resultados

No ato de inscrição do candidato será exigida:
 As idades de 15 anos para o ensino fundamental e 18 anos para o ensino médio;
 A apresentação dos seguintes documentos;
 ficha de inscrição, devidamente preenchida;
 duas (2) fotos 3x4, recentes e iguais
 carteira de identidade atualizada ou carteira de trabalho — original e fotocópia

Para a realização das provas o candidato obterá informações sobre os componentes curriculares e seus respectivos Programas no Guia Didático de Orientação ao Candidato e, sempre que possível orientação presencial para o uso adequado desse material.

Os procedimentos de inscrição, de estabelecimento de cronograma, a prestação de exames e o acesso aos resultados pelos candidatos seguem as seguintes normas:
 após a inscrição, o candidato receberá o cartão de inscrição e orientacao sobre o Guia Didático de Orientação ao Candidato (Programas ) e definirá, juntamente com os membros da CPA, o cronograma de realização dos exames requeridos;
 só será permitida a realização da prova mediante a apresentação do cartão de inscrição e da carteira de identidade ou carteira do trabalho;
 mensalmente, o candidato poderá realizar exames de, no máximo, três (03) componentes curriculares para o ensino fundamental e quatro (04) para o ensino médio;
 cada prova terá a duração de 2h (duas horas) e os resultados serão fornecidos de acordo com cronograma estabelecido pela CPA, fixando-os no quadro mural da UE ou fornecidos diretamente ao candidato pela Coordenação;

 os candidatos que não forem aprovados poderão submeter-se a novo exame, de acordo com o cronograma estabelecido pela UE/CPA, respeitando um prazo mínimo de 60 dias entre um e outro. Para isso, o candidato deve marcar novo exame junto à CPA, munindo-se, para tal, de seu cartão de inscrição;

 os candidatos que realizarem novo exame e que ainda assim não forem aprovados pela segunda vez, deverão ser encaminhados para cursos de educação de jovens e adultos, de modo a auferir a certificação no próprio curso ou por meio de novo exame na CPA, se melhor lhe convier.

PERFIL DO CANDIDATO

PERFIL DO CANDIDATO


Os candidatos aos exames das CPA devem atender, inicialmente, aos requisitos legais de idade, sendo exigida, portanto, a idade mínima de 15 anos para o Ensino Fundamental e de 18 anos para o Ensino Médio. (Cf. argumentação do Parecer CNE 11/2000).
Outras características relacionadas aos aspectos legais do direito à certificação também fazem parte do perfil do candidato. São elas:

► Jovens e adultos excluídos dos processos de escolarização regulares ou complementares que se habilitem à terminalidade do Ensino Fundamental e Médio em todas as disciplinas constantes do núcleo comum nacional da escolarização obrigatória.
► Candidatos oriundos de cursos supletivos extintos que concluíram componentes curriculares do Ensino Fundamental e Médio.
► Candidatos que não concluíram cursos de EJA.
► Candidatos que estão realizando curso de EJA e precisam realizar exames sobre componentes curriculares que não estejam cursando.
► Candidatos de escolas regulares que não lograram aprovação em componentes curriculares do Núcleo Básico Nacional para fins de terminalidade no Ensino Fundamental e Médio, não estando incluídas disciplinas da parte diversificada e de cursos profissionalizantes.
► Candidatos portadores de necessidades especiais e candidatos indígenas.
Essas múltiplas características, que definem os possíveis candidatos aos exames das CPA, ou seja, os sujeitos sociais que têm direito legal e legítimo de certificação da escolarização básica, relacionam-se com a legislação vigente. Ou seja, do adolescente ou jovem adulto oriundo do ensino regular ao trabalhador excluído dos processos de escolarização, em função das necessidades de ingresso e de permanência no mercado de trabalho, todos têm o direito de candidatar-se a essa certificação.
Entretanto, devido à extrema heterogeneidade desse perfil tão abrangente, torna-se necessário definir algumas prioridades no que se refere aos modos de orientação e de atendimento aos candidatos, bem como à definição de prioridades quanto à organização pedagógica dos conteúdos e dos exames.
Os instrumentos de verificação têm sido elaborados de modo a permitir um melhor aproveitamento (índice de aprovação) do conjunto dos candidatos, tomando por base os programas de estudos entregues a eles. Entretanto, apesar da pertinência desses objetivos e das tentativas que vêm sendo realizadas, os resultados têm-se mostrado insatisfatórios. Aparentemente, a heterogeneidade dos candidatos dificulta as tentativas de adequação dos instrumentos às potencialidades e saberes desses candidatos, contemplando prioritariamente aqueles com perfil de escolarização diferente do inicialmente desenhado como perfil do candidato aos exames das CPA.
Parte-se do pressuposto de que os saberes são múltiplos, tanto nos seus conteúdos quanto em suas formas de expressão possíveis, em desacordo com o pensamento dominante, que entende o conhecimento científico formal – supostamente presente nos programas escolares – como o único portador de verdade e, portanto, o único que pode atestar as condições satisfatórias para a concessão de certificados de escolarização aos candidatos em quaisquer tipos de exames. Deste modo, questiona-se a idéia de que a ausência de determinados conhecimentos seja ignorância, buscando, com isso, considerar o potencial de outros saberes em possibilidade. Possibilidade de diálogo com o mundo e de manifestação de outras formas válidas de saber sobre o mundo e de nele estar (Cf. Esteban, 2001).
Os múltiplos conhecimentos tecidos pelos sujeitos sociais ao longo de suas vidas, e que lhes ajuda a interagir com o mundo físico e social à sua volta, são aprendidos nos diversos espaços sociais de interação nos quais esses sujeitos estão inseridos e expressados de acordo com as possibilidades e capacidades de cada um, em sua singularidade. Entretanto, mesmo cientes dessa diversidade que caracteriza as aprendizagens e suas formas de expressão, elaborar um instrumento de verificação de conhecimentos de candidatos para obter um certificado de escolarização impõe limites e necessidade de definições apriorísticas de quais saberes serão considerados como fundamentais para a concessão do referido certificado. Ainda é preciso que se escape da armadilha cientificista que desconsidera os saberes da prática e da vida cotidiana, e compreender de que modo pode-se estabelecer um diálogo entre os diferentes saberes para, desse modo, melhor verificar os conhecimentos que portam os candidatos aos exames das CPA, levando em conta as formas específicas de seus aprendizados sem negligenciar os saberes formais.

A exigência que também desafia os exames é a de restaurar a complexidade dos processos de aprender, evitando tanto o reducionismo cientificista quanto o elogio de saberes não escolares, produzindo exames que não atestam o domínio de alguns saberes fundamentais à certificação.
Historicamente excluídos do direito à escolarização, esses sujeitos a quem devem estar destinados os exames das CPA “aprenderam”, ao longo de suas vidas, que “não sabem” através de um duro processo.
O saber “que não sabem” é uma dura aprendizagem de uma falsa verdade, servindo para ocultar que o conjunto teórico/prático denominado “ignorância” muitas vezes não é outra coisa além de conhecimentos construídos a partir de experiências, realidades, cosmovisões, objetivos de vida, relações sociais, estruturas de poder, tradições históricas e vivências culturais diferentes dos conhecimentos valorizados pelo pensamento hegemônico. (idem, p. 17).

Elaborar esses instrumentos de verificação requer, portanto, que se esteja atento ao perfil dos candidatos que se submeterão aos exames, sem negligenciar a especificidade de suas histórias de vida e de aprendizagem, nem as necessidades de verificação do domínio de um certo número de saberes formais organizados, visto tratar-se de uma certificação de escolarização.
Politicamente, pode-se considerar que os exames escolares de modo geral e, de modo particular, os exames para certificação, vêm desempenhando, historicamente, a função de excluir do direito à escolarização — e à certificação desta —, determinados segmentos sociais. A tarefa de adequar os instrumentos de verificação ao perfil dos candidatos que necessitam desse tipo de certificação é um compromisso não apenas pedagógico, mas sobretudo, político. Ou seja, incorporar outros saberes e outras formas de julgar os conhecimentos dos candidatos não se reduz a uma tarefa técnica de produzir instrumentos eficientes de verificação, mas inclui o necessário compromisso político de minimizar os efeitos nefastos produzidos pela estrutura social de dominação e seus mecanismos de manutenção desta sobre as populações excluídas da escola.
Portanto, independentemente do número de candidatos de outros perfis, oriundos de processos formais de escolarização, a elaboração dos exames pelas CPA deve buscar atender às especificidades e características das formas de conhecimento dos cidadãos excluídos das escolas, a quem, originariamente, elas deviam se destinar.
Acredita-se que esses candidatos são os “nossos” e que se deve buscar não apenas a formulação de instrumentos de verificação compatíveis com a especificidade de suas formas de conhecer, mas que se deve ter em mente esse perfil no processo de reorganização dos programas propostos para as diversas disciplinas e dos guias didáticos de orientação aos candidatos.